Please reload

Posts em Destaque

Itapecerica da Serra - SP: 140 anos

May 8, 2017

Hoje, dia 8 de maio, Itapecerica da Serra, um município da Região Metropolitana de São Paulo, completa 140 anos.

 

Em fevereiro deste ano resolvi conhecer o templo Kinkaku-Ji, que fica na cidade, após buscar na internet alguns lugares para fazer um bate-volta partindo de São Paulo. Mesmo sem saber muito sobre o lugar e sem saber dirigir por SP, resolvi que acordaria cedo no dia seguinte, colocaria no GPS e partiria rumo a Itapecerica da Serra.

 

 

O dia seguinte amanheceu ensolarado após muitos dias daquela chuvinha típica de SP. Acordei empolgada e fiz o programado, e o programado era só colocar o destino no GPS e ir. Com aquele otimismo de sempre, eu fui!. Tudo muito lindo, tudo muito bom... até o sinal do celular sumir e eu não ter a mínima ideia da localização do templo (Nessas horas eu sempre prometo que serei mais organizada, mas também sei que é aquele tipo de promessa que nunca vou cumprir). Mas nada de pânico, eu já estava em Itapecerica e era só procurar alguém e perguntar... Eu só não contava que as pessoas fossem abduzidas em dias de feriados. Mas se tem uma coisa que eu aprendi é: se está perdida, siga reto sempre. Afinal, seguir em frente sempre soa mais otimista e orgulhosa que sou, voltar quase nunca é uma opção. Só que de novo eu não contava com um pequeno detalhe: uma bifurcação. Seguir em frente não era uma opção. Quando isso acontecer, você pode escolher a da esquerda porque é o lado do coração ou à direita, simplesmente porque a direita sempre vai ser a escolha certa. Está lá, escrito no dicionário: direita = correta, certa, séria. E como boa capricorniana que sou, a razão vem em primeiro lugar. E fui pela esquerda.

 

Depois de um tempo, finalmente encontrei minúsculas placas indicando o templo. Quando estava quase chegando encontrei outra bifurcação. Ali havia uma placa indicando à esquerda o templo Kinkaku-Ji e a direita outro templo que nunca tinha ouvido falar, embora eu só tenha sabido da existência do Kinkaku no dia anterior também. Fiquei tentada a pegar a direita, seguindo as leis capricornianas, mas segui o lado do coração e fui pela esquerda, afinal tinha uma placa! De fato cheguei ao templo.

 

Lá tinha uma funcionária muito simpática que explicou sobre o lugar e me contou que o templo na verdade é um empreendimento particular cuja proposta era oferecer um cinerário em complemento aos serviços de cremação que se iniciava em São Paulo aos moldes de um cemitério japonês. Ah e me avisou que eu deveria descer algumas escadas para chegar ao templo. Então paguei os 5 reais da entrada, comprei um saco de ração (2 reais) para alimentar as carpas do lago e comecei a descida. Foi aí que descobri que as “algumas escadas” eram na verdade muitas escadas e que eu teria que voltar pelo mesmo caminho. Mas o caminho é bonito, dentro da floresta e com vários laguinhos, quando me dei conta já estava no templo.

 

Conheci o templo, alimentei os peixes e fui dar uma volta na lateral do terreno. Foi quando vi outro estacionamento bem pertinho do Kinkaku-Ji e um outro templo. Lendo a placa descobri que era o outro templo que estava indicado na placa na bifurcação, o Enkoji aquele que ficava à direita. Lembra? Escutei do motorista de um carro que estava estacionado ali que dá para chegar de carro até o templo entrando nessa bifurcação à direita. Eu não precisaria descer e subir trocentos degraus, nem pagar entrada. Conclusão? Siga sempre a da DIREITA!!! 

 

Sem pessimismo! Sou pão-dura como uma boa capricorniana também, mas prefiro pensar que meus 5 reais vão ajudar a conservar o local ou pelo menos que usem para comprar papel higiênico para o banheiro feminino porque ter que ficar se sacudindo com as calças no meio das pernas não é bacana. O fato é que, mesmo com tudo isso, o lugar é muito bonito. O contato com a natureza e a beleza do templo compensam a falta de sinalização e os banheiros ruins.

 

Fiquei umas duas horas no local e gostei da experiência. No final das contas tudo ocorreu bem. Pelo menos até a hora de ir embora quando eu me perdi e fiquei rodando por mais de hora em uma estrada de barro com muitas subidas e descidas, e com o céu preto anunciando uma chuva. Ia terminar o feriado atolada no meio do nada e sem sinal de celular. Nada que não já tenha acontecido antes, mas isso fica para outro post. Muitas derrapadas depois, eu finalmente consegui chegar à rodovia e retornar à São Paulo. 

 

 

Mas chega de blá-blá-blá. Abaixo estão as informações sobre Itapecerica da Serra e os templos.

 

ITAPECERICA DA SERRA

 

Itapecerica da Serra fica a 35 km do aeroporto de São Paulo (Congonhas). O trajeto dura mais ou menos 1 hora de carro. O evento mais conhecido da cidade é a Festa do Peão de Boiadeiro que ocorre sempre em julho e atrai milhares de pessoas com seus shows sertanejos.

 

Turismo

A cidade tem poucos pontos turísticos mas o parque da represinha, a igreja da matriz e bairro olaria são opções para quem quiser conhecer melhor a cidade. Os templos Kinkaku-Ji e o Enkoji são as atrações turísticas mais visitadas.

 

 

Confira aqui a AGENDA CULTURAL DE MAIO da cidade


E para comemorar os 140 anos, a Prefeitura de Itapecerica da Serra preparou um Calendário Oficial de Eventos. Clique aqui e confira.
 

 

Templos Kinkaku-Ji e Enkoji

 

O Kinkaku-ji do Brasil é uma réplica do templo Kinkaku-ji japonês e funciona como um templo ecumênico e um cinerário, diferente do japonês que é um templo de orientação zen-budista. É um empreendimento privado, concluído e inaugurado em 1976, idealizado por Alonzo Bain Shattuck, um americano que morou no Japão durante 15 anos. Foi construído pelo arquiteto Takeshi Suzuki, com a participação de dois escultores japoneses: Noburo Norisada e Kanto Matsumoto. Construído em concreto armado e revestido com cedro, este templo recebeu uma pintura dourada em vez de ser folhado a ouro como o Kinkaku-ji do Japão.

 

Em 2001 foi inaugurado o Enkoji (Templo do Círculo Luminoso), um templo zen-budista localizado ao lado do Kinkaku-ji. Embora estejam muito próximos, o Enkoji é uma instituição distinta e autônoma em relação ao Kinkaku-ji. Ele é voltado à orientação de ensinamentos, práticas e cerimônias budistas.

 

 

Dica: Todo domingo, no Enkoji, há orientação gratuita sobre ensinamentos budistas e a prática de meditação, para quem queira iniciar essa prática.

 

Quando ir

Nas primeiras semanas de agosto quando há a florada das cerejeiras.

 

Estrutura

O parque tem estacionamento gratuito, churrasqueiras e banheiros. Não há restaurante mas você pode levar comida e até fazer piquenique no local.

 

 Dica: se você for estacionar seguindo as placas do Kinkaku-ji terá que descer e subir muitas escadas, não sendo recomendável para aqueles que têm dificuldades de locomoção. Porém esta é a melhor forma de curtir a natureza e conhecer o parque. Se for estacionar seguindo as placas do Enkoji, você ficará bem perto dos templos e não fará esforço mas fique atento ao tempo porque a estrada é muito íngreme e não é asfaltada.

 

Funcionamento:

Terça a Domingo das 09h às 16h

 

 

Ingresso

R$ 5,00 (por pessoa). Se você quiser pode comprar ração para os peixes (R$ 2,00 o saquinho). Estacionamento gratuito.

 

Localização

Rua Camarão, 220 | Chácara Palmeira. Dentro do Parque Turístico Nacional do Vale dos Templos

Telefone: (11) 4666-4895

 

Atenção: trecho sem asfalto e com pouca sinalização. Não tem sinal da operadora Oi próximo ao local.

 

 

Para mais informações sobre Itapecerica da Serra visite:

http://www.itapecerica.sp.gov.br/

 

 

Secretaria de Turismo
Largo da Matriz de Nossa Senhora dos Prazeres nº 95,Centro - Itapecerica da Serra - SP
Email: turismo@itapecerica.sp.gov.br
Telefone: 4666-5966 
Atendimento: Das 8h às 16h30

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Siga
  • Facebook Basic Square
RSS Feed
Please reload

Categorias
Please reload